Último texto

Então me olhou. Eu via de longe os fiordes de Oslo, mas estava distante demais e abstraído demais para reparar no céu alaranjado, daqueles gases vulcânicos. Isso era há muito. Minhas roupas eram do final do XIX. Então me olhou. Seus olhos tinham o ressentimento das décadas que viriam, ainda. Ela me perguntou quem eu era, e a resposta – tive que dizê-la, que ali não havia artifício nenhum de omissão – “Eu não sei”. Minha cabeça doía profundamente por estar ali, e naquele momento. Levei as mãos às têmporas em desespero.

Continuar lendo

Anúncios

O Estatuto das Rugas

Além das músicas, além da presença de muitos amigos reunidos e toda a alegria que isso proporciona, o show do Los Hermanos trouxe, para mim, uma imagem muito clara. De alguma forma estou dando voz a ideias de Lacan neste texto. Vi apenas o que eu temo, vi apenas o que me incomoda, minha percepção, ali, era absolutamente seletiva. O que mais me chamou atenção naquele show foi a impiedade do tempo, ou em outras palavras mais claras: o quanto os caras da banda estão velhos!

Continuar lendo

Teoria Geral da Saudade – II

Há quase dois anos postei um texto aqui, com esse mesmo título: Teoria Geral da Saudade. Gostei mais do título do que o texto propriamente. Impossível teorizar sobre algo como a saudade. Este texto, menos pretensioso – talvez – não avança na compreensão do tema. Não traz maior contribuição que o primeiro. Se você ler e isso não mudar a sua vida, o problema é todo seu.

Continuar lendo

Geografia

Das coordenadas não definidas, sem indicação do objeto ou lote, de área incerta, segue o memorial descritivo.

Continuar lendo